• RJ: (21) 2518-3099 | DEMAIS ESTADOS: 4003-3367
RJ: (21) 2518-3099 | DEMAIS ESTADOS: 4003-3367

Pensão por morte: saiba como funciona esse benefício no emprego doméstico

Pensão por morte: saiba como funciona esse benefício no emprego doméstico

Em caso de morte do empregado doméstico, família tem direito a receber uma pensão

Há situações complicadas no emprego doméstico, e uma delas é quando o empregado doméstico falece. Quando esse infortúnio acontece, a família do trabalhador tem direito a receber uma pensão por morte. Contudo, há regras para que este benefício seja concedido a família. Por isso, é importante que o empregador mantenha a empregada sempre regularizada.

Para esclarecer as dúvidas sobre o assunto, respondemos algumas perguntas conforme previsto na lei. Confira!

Pensão para o cônjuge ou companheiro

É importante ter consciência sobre as regras impostas pela lei: se o trabalhador não cumpriu 18 meses de carência (pagamento do INSS) ou se o casamento ou união estável tiveram início em menos de 2 anos antes do óbito, a duração do benefício da pensão será sempre de 4 meses.

Nos demais casos, o tempo de pagamento da pensão varia conforme a idade do dependente na data do falecimento do trabalhador:

  • Menos de 21 anos: 3 anos;
  • Entre 21 e 26 anos: 6 anos;
  • Entre 27 e 29 anos? 10 anos;
  • Entre 30 e 40 anos: 15 anos;
  • Entre 41 e 43 anos: 20 anos;
  • A partir de 44 anos: benefício vitalício.

Há uma exceção, se o cônjuge ou companheiro for inválido ou deficiente, a pensão será paga enquanto durar a situação, respeitando o prazo mínimo conforme descrito acima.

É importante destacar que os ex-cônjuges ou companheiros que comprovem dependência econômica, como nos casos em que recebem pensão alimentícia, também tem direito à pensão por morte.

Pensão para os filhos, enteados e irmãos

Neste caso, o benefício é pago até que eles completem 21 anos de idade, com exceção em casos de invalides ou deficiência adquiridas antes de completar vinte e um anos.

Em caso de emancipação, o familiar não terá direito a pensão. As mesmas regras se aplicam aos irmãos, desde que comprovem a dependência financeira.

A empregada doméstica já recebe pensão por morte, ela deve ter a carteira de trabalho assinada?

O empregador deve orientar a trabalhadora que não há riscos de perder o benefício de pensão por morte ao assinar a carteira de trabalho. A doméstica tem direito a todos os benefícios que o INSS oferece desde que cumpra as regras exigidas em cada um deles, assim como completar o tempo de contribuição exigido para aposentadoria. Desta maneira, poderá cumular o benefício da aposentadoria junto com o de pensão por morte. Saiba mais sobre esse assunto.

As informações foram úteis? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Deixe seu comentário sobre este post