O eSocial no emprego doméstico completa 6 anos em outubro

O eSocial no emprego doméstico completa 6 anos em outubro

Patrão doméstico deve ter cuidado para que falhas não gerem ação trabalhista.

esocial
O eSocial completou seis anos neste mês de outubro. Ele é de uso obrigatório e tem como objetivo centralizar todas as informações sobre as obrigações fiscais e trabalhistas. Não cumprir o eSocial todos os meses ou cometer algum erro em sua operação, pode significar a aplicação de várias multas, que podem pesar no bolso do patrão doméstico.
No emprego doméstico, ele passou a valer através da Lei Complementar 150 de 01/06/2015 e tem como principal finalidade emitir o DAE – Documento de a Arrecadação do eSocial, que é uma guia única de recolhimento dos impostos e encargos no emprego doméstico, que são o INSS do empregado e do empregador doméstico, o FGTS, a antecipação da Multa de 40% do FGTS para a demissão sem justa causa pelo empregador, férias e o Seguro Acidente de Trabalho, entre outros. Além da emissão da guia para recolhimento de impostos ele também faz , dentro de determinadas limitações, a folha de pagamento mensal do empregado doméstico, férias, 13º. Salário e calcula a rescisão.
Não há dúvidas, que o eSocial evoluiu e melhorou muito, desde o seu lançamento em outubro de 2015, porém, falhas e deficiências podem trazer dores de cabeça para o patrão doméstico e fazer com que ele sofra uma ação trabalhista.

As falhas ou deficiências do eSocial:

1 – Não permite o desconto de Pensão Alimentícia do empregado doméstico, causando problemas ainda no desconto do Imposto de Renda.
2 – Não calcula as férias de 30 dias quando o empregado doméstico tem jornada de Trabalho Parcial sendo mais de 6 horas por dia, obrigando o empregador doméstico a alterar o número de dias para 30 dias;
3 – Não abate as faltas injustificadas nos dias de férias, tanto para gozo de férias quanto para férias na rescisão
4- Não calcula média de horas extras e Descanso Semanal Remunerado para o cálculo das férias.
5- Não calcula média de Horas Extras e Descanso Semanal Remunerado para cálculo de 13º. Salário e Rescisão.
6- Ainda é muito complexo quando o empregador tem que cancelar ou refazer férias ou rescisão.
7- Existe ainda problemas de comunicação do eSocial com a Caixa Econômica Federal, as vezes o empregado que foi demitido sem justa causa e vai sacar o FGTS, a CEF ainda não tem os dados de rescisão, obrigando o empregador a refazer a rescisão e atrasar o saque do trabalhador.
8- Esses problemas de comunicação também existem com a Receita Federal, gerando cobrança indevida da Receita Federal ao empregador doméstico, por diferença de até R$ 0,01, sendo erro no processo de arredondamento entre os cálculos do eSocial e da Receita Federal.
Para garantir que não haja erros na relação trabalhista com seu empregado doméstico, é importante que confie esse trabalho a quem entende. Desde 2004 atuando nesta área, a Doméstica Legal através de sua equipe, auxilia patrões domésticos no cumprimento dos seus deveres. Entre em contato.

Compartilhe esta publicação

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Cadastre seu e-mail e fique sempre atualizado

Deixe seu comentário sobre este post

🔎 Não achou o que procurava?

Faça sugestões de novos conteúdos