Fim da dedução do INSS do empregador doméstico no Imposto de Renda

Fim da dedução do INSS do empregador doméstico no Imposto de Renda

Valor Econômico (13/01/2020)

A dedução com os trabalhadores domésticos foi criada em 3006, no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como parte de um conjunto de medidas para estimular a formalização desse setor. O benefício foi prorrogado duas vezes e necessitaria de um novo adiamento no ano passado, mas o governo se posicionou contra. Procurado, o Ministério da Economia não respondeu aos questionamentos.

A decisão foi criticada por parlamentares e por ativistas dos direitos dos empregados domésticos. Para Mario Avelino, presidente do Instituto Doméstica Legal, o corte levará a demissões e a maior informalidade nesse setor – que já tem apenas 27 funcionários com carteira assinada para cada cem trabalhadores.

“Hoje, 60%dos empregadores domésticos fazem a declaração completa. Na hora de declararem, vão fazer as simulações e não tenho dúvida de que muitos empregadores vão decidir demitir seus funcionários”, declarou Avelino.

Confira a matéria completa:

Com o fim da dedução, o empregador irá perder em 2020, aproximadamente R$ 1.250,00. O Instituto Doméstica Legal continua lutando em Brasília para que este ano o Projeto de Lei 1.766/2019 seja aprovado, e o benefício seja válido em 2021. Para isso, pedimos a sua participação na campanha de abaixo-assinado “Mais formalidade no emprego doméstico”, basta dar a sua assinatura mediante nome e e-mail.

ASSINE AQUI O ABAIXO-ASSINADO POR MAIS FORMALIDADE NO EMPREGO DOMÉSTICO

Compartilhe esta publicação

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Cadastre seu e-mail e fique sempre atualizado

Deixe seu comentário sobre este post