Empregada doméstica afastada por doença pode voltar ao trabalho sem realizar perícia médica?

Empregada doméstica afastada por doença pode voltar ao trabalho sem realizar perícia médica?

Estar com a saúde em dia melhora não só a qualidade de vida da doméstica como seu desempenho no trabalho, proporcionando harmonia no ambiente do empregador

perícia médica

No emprego doméstico, quando um trabalhador adoece, mesmo que por 1 dia e procura ajuda médica e é atestado que precisa se afastar de suas funções, o dia trabalhado é pago pela Previdência Social. Essa é a legislação do emprego doméstico, diferente do que acontece com um funcionário de empresa.  Mas para que o trabalhador receba seus direitos devidos aos dias de afastamento, ele precisa agendar perícia médica.

O processo de afastamento do emprego por problemas de saúde deve ser tratado direto com o INSS, pois nesse período o empregador fica isento de pagar os dias não trabalhados. Porém uma dúvida recorrente é quanto ao retorno ao trabalho, afinal, a doméstica já está recuperada para retomar suas atividades sem prejudicar sua saúde?

 

Para que serve a perícia médica?

Para atestar se a doméstica precisa permanecer ou não afastada de suas funções e por quanto tempo. Quando o INSS atestar negativamente, a doméstica já está apta para trabalhar.

Às vezes, a perícia é agendada para uma data posterior ao encerramento do benefício já concedido, e assim a doméstica precisa continuar trabalhando até refazer a perícia.

 

O benefício foi encerrado, e agora?

Se a doméstica se encontra apta para retornar ao trabalho, assim deverá ser feito. Agora se ela for liberada pelo INSS e ainda se sentir mal, a recomendação é que busque ajuda de um profissional médico para uma nova avaliação e possível encaminhamento para o INSS com novo laudo médico.

 

Voltar a trabalhar antes da perícia médica é um procedimento legal?

Se a doméstica se sentir apta a retomar suas atividades (é recomendável ter uma liberação médica), mas ainda estiver recebendo o benefício de auxílio-doença do governo, deverá comunicar ao INSS seu retorno ao trabalho, desta forma o benefício será suspenso.

Já os casos em que a doméstica continue incapacitara para retornar ao trabalho, deverá prorrogar a o benefício, através de pedido de prorrogação, 15 dias antes do término do auxílio.

Compartilhe esta publicação

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Cadastre seu e-mail e fique sempre atualizado

Deixe seu comentário sobre este post

🔎 Não achou o que procurava?

Faça sugestões de novos conteúdos