• RJ: (21) 2518-3099 | DEMAIS ESTADOS: 4003-3367

Salário mínimo das domésticas 2017: como conceder o reajuste no Rio de Janeiro

Salário mínimo das domésticas 2017: como conceder o reajuste no Rio de Janeiro

O reajuste de 8% no piso é retroativo ao mês de janeiro. Empregadores deverão pagar diferença de salário no contracheque referente ao mês de março. Saiba como calcular

reajuste salário rio de janeiro empregada doméstica

O novo piso salarial do estado do Rio de Janeiro foi sancionado na última sexta-feira, dia 10 de março. O novo valor, R$ 1.136,53 representa um aumento de 8% em relação ao piso anterior, R$ 1052,34. O aumento equivalente à R$ 84,19 para cada mês e é válido desde de 1º de janeiro – ou seja, os empregadores precisam fazer o pagamento de forma retroativa.

Veja abaixo em qual caso você se encaixa, se o aumento é necessário e como aplicá-lo corretamente no salário do seu empregado doméstico:

 

Empregados que recebem R$ 1.052,34

Empregados que recebem exatamente o piso salarial decretado em 2016 (R$ 1052,34) precisam obrigatoriamente ter seu salário atualizado para o novo valor e receberem a diferença retroativa à 01 de janeiro de 2017.

Os empregadores precisam estar atentos à quaisquer particularidades nas folha de pagamento anteriores (janeiro e fevereiro) de seus empregados, assim como demais descontos rotineiros: horas extras, adicional noturno, faltas, desconto de vale transporte, faltas e etc. Estes lançamentos devem ser recalculados considerando a diferença do novo salário e pagos proporcionalmente ao empregado (ou descontado, no caso de faltas, atrasos e outros).

O mesmo vale para eventual pagamento de férias e rescisão de contrato: a diferença das férias deve ser calculada proporcionalmente e a rescisão deve ser complementada com uma “rescisão complementar”.

 

Empregados que recebem entre R$ 1.052,35 e R$ R$ 1.136,52

Empregadores que já pagavam mais do que o piso de 2016 (R$ 1.052,34) e menos que o novo piso (R$ 1.136,53) ainda precisam ajustar os salários de seus empregados domésticos. Neste caso, a obrigação do empregador é exclusivamente efetuar a atualização com base no novo valor. No entanto, é recomendável, aplicar uma correção salarial equivalente à inflação do ano de 2016 (6,28%) sobre o salário atual, embora não exista obrigatoriedade legal (desde que o salário final não fique abaixo do piso de R$ 1.136,53).

Já os empregadores que já pagam mais do que o novo piso (R$ 1.136,53) não tem obrigação legal de reajustar o salário de seus funcionários – embora permaneça a recomendação de aplicar uma correção equivalente à inflação anual. Novamente, não existe obrigação legal para este aumento.

Os empregadores precisam estar atentos à quaisquer particularidades nas folha de pagamento anteriores (janeiro e fevereiro) de seus empregados, assim como demais descontos rotineiros: horas extras, adicional noturno, faltas, desconto de vale transporte, faltas e etc. Se o salário de referência para estes cálculos for inferior ao novo piso, estes lançamentos devem ser recalculados considerando a diferença do novo salário e pagos proporcionalmente ao empregado (ou descontado, no caso de faltas, atrasos e outros).

O mesmo vale para eventual pagamento de férias e rescisão de contrato: a diferença das férias deve ser calculada proporcionalmente e a rescisão deve ser complementada com uma “rescisão complementar”.

Importante: Se o salário de referência para estes cálculos for superior ao novo piso, a correção retroativa (do salário e dos lançamentos na folha de pagamento) não é obrigatória.

 

Empregados que recebem salário proporcional ou trabalham em jornada parcial

Quem tem empregados contratados para trabalhar em jornada parcial (até 25 horas de trabalho) ou por escala pode pagar o valor proporcional utilizando o piso como base de cálculo. Da mesma forma, o aumento retroativo obrigatório deve ser aplicado em 8% do valor atual.

 

Clientes Doméstica Legal

Clientes da Doméstica Legal no Plano Classic contam com nosso suporte trabalhista especializado para auxiliar nos cálculos retroativos e demais lançamentos. Clientes dos planos Personal e Exclusive não precisam se preocupar, os consultores trabalhistas realizam a alteração e já enviam a DAE e demais documentos de acordo com o novo salário.


Passo a passo para calcular diferença de salário

Veja o passo a passo para operar a funcionalidade Reajuste Retroativo de Salário no sistema da Doméstica Legal.

 

Passo 1:

Logado no sistema da Doméstica Legal selecione o empregado para o qual deseja aplicar o reajuste retroativo, em seguida clique no botão “Iniciar rotinas trabalhistas”

Passo 2:

Clique no botão ‘Anotações na CTPS”

Passo 3:

No menu escolha a opção “Alteração de salário/ cargo”

Passo 4: Alteração Salário e Cargo

4.1-Informe a data do aumento 01/03/2017

4.2 – Informe o novo salário

4.3 – Informe o motivo do aumento como “Reajuste Retroativo”

4.4 – Informe mês e ano em que o reajuste será aplicado

4.5 – Informe o Cargo do Empregado

Passo 5:

Após inserir as informações, basta o empregador clicar no botão confirmar. Automaticamente todos os cálculos retroativos ao período informado serão incluídos na folha de pagamento relativa ao empregado selecionado.

Passo 6:

Após este procedimento o empregador deverá clicar no menu, na opção “Pagamentos”/ Mensal

Passo 7:

Selecione o mês desejado e clique em calcular.

Passo 8:

Será exibido o recibo mensal informado o valor da diferença salarial. Basta clicar em Emitir Recibo

 


 

Após calcular a diferença de salário, o empregador deve atualizar o salário da empregada também no eSocial.

 

Passo a passo para reajustar o salário do empregado doméstico no eSocial

 

1 – Logado no eSocial, o empregador deve clicar na opção “trabalhador”, que fica no menu superior e em seguida na opção “Gestão de Trabalhadores”.

2 – Selecionar o empregado que deseja alterar o salário

3 – Clique na opção “Dados contratuais”

4 – Clique em “Alterar Dados Contratuais”.

5 – No campo “Data de início de vigência da alteração” colocar a data a partir da qual vale o reajuste salarial, variando de acordo com cada caso.

6 – O eSocial enviará uma mensagem reportando que as alterações serão validadas. Clicar em “Continuar”.

7 – No campo “Salário fixo” deverá inserir o novo salário bruto do empregado.

8 – Clique em salvar e o salário estará alterado no sistema.

As informações foram úteis? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Deixe seu comentário sobre este post