Como fica a rescisão de contrato durante a estabilidade por redução de jornada e salário?

Como fica a rescisão de contrato durante a estabilidade por redução de jornada e salário?

Empregado tem estabilidade no emprego equivalente ao período em que teve a jornada reduzida, podendo ser de até 90 dias

estabilidade

Em tempo de pandemia, preservar o trabalho e a renda é algo essencial, visando isso, o governo liberou medidas para auxiliar o empregador doméstico nesse momento complexo e que a economia do país anda abalada. Mas, mesmo diante disso, empregadores têm sido afetados economicamente nesse período delicado, não conseguindo manter assim o empregado da doméstica.

Dentre essas medidas, a MP 936/2020 teve grande adesão por parte dos empregadores domésticos, proporcionando a suspensão do contrato de trabalho por até 60 dias ou a redução de jornada e salário por até 90 dias, sendo proporcionado a empregada doméstica uma estabilidade no emprego após o fim do acordo, equivalente ao mesmo período da opção acordada. Por exemplo, se a doméstica teve a jornada e o salário reduzidos por até 90 dias, após o encerramento do acordo de redução, ela terá estabilidade no emprego pelo mesmo período.

 

E se o empregador que fez um acordo de redução e durante o período de garantia provisória do emprego ele precisar demitir sem justa o empregado?

Nessa situação específica, a de redução de jornada e salário, a demissão sem justa causa durante o período da estabilidade pode acontecer, mas o empregador doméstico irá pagar as parcelas rescisórias previstas na legislação em vigor e a devida indenização no valor de:

  • 50% do salário a que o empregado teria direito no período de estabilidade provisória no emprego, na hipótese de redução de jornada de trabalho e de salário igual ou superior a vinte e cinco por cento e inferior a cinquenta por cento;
  • 75% do salário a que o empregado teria direito no período de estabilidade provisória no emprego, na hipótese de redução de jornada de trabalho e de salário igual ou superior a cinquenta por cento e inferior a setenta por cento;

Já em casos de suspensão do contrato de trabalho e redução de jornada e salário:

  • 100% do salário a que o empregado teria direito no período de estabilidade provisória no emprego, nas hipóteses de redução de jornada de trabalho e de salário em percentual superior a setenta por cento ou de suspensão temporária do contrato de trabalho.

 

Doméstica Legal, me ajuda!

Se identificou? Você é o empregador que, infelizmente, precisa dispensar a sua doméstica e ainda tem dúvidas em como fazer a rescisão de forma correta? Vem conversar conosco, nos deixe te ajudar exatamente no que você precisa. Clique aqui e nos envie uma mensagem.

Compartilhe esta publicação

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Cadastre seu e-mail e fique sempre atualizado

Deixe seu comentário sobre este post