RJ: (21) 2518-3099 | DEMAIS ESTADOS: 4003-3367

10 perguntas e respostas sobre o FGTS do Empregado Doméstico

10 perguntas e respostas sobre o FGTS do Empregado Doméstico

O departamento pessoal do empregador doméstico preparou um guia prático sobre o tema. Confira!

perguntas e respostas sobre o FGTS

O FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) é um dinheiro que compõe uma reserva pertencente ao trabalhador. O dinheiro pode ser sacado em casos específicos estabelecidos pela lei. O valor recolhido mensalmente é equivalente a 8% da remuneração do trabalhador e é gerido pela Caixa Econômica Federal.

O direito ao FGTS era facultativo até a sanção da Lei Complementar 150, e se tornou obrigatório em outubro de 2015. O recolhimento do valor é integrado ao DAE, que reúne todos as verbas relativas vínculo de emprego doméstico.

A Doméstica Legal preparou um guia com perguntas e respostas sobre o tema para auxiliar os empregadores.

 

1- É obrigatório recolher o FGTS de seu empregado doméstico?

Sim – Com a edição da Lei Complementar nº 150/2015 o recolhimento do FGTS deixa de ser opcional para ser obrigatório.

 

2- Quando é que o recolhimento do FGTS do empregado doméstico passou a ser obrigatório?

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um dos direitos dos empregados domésticos, regulamentado em outubro de 2015 após a sanção da Lei Complementar 150

 

3- Como deve ser recolhido?

Através do DAE (Documento de Arrecadação do eSocial), que deve ser emitido mensalmente e pago no dia 7 (sete) de cada mês; quando o dia sete cai em feriado ou final de semana, a data de vencimento é adiantada para o último dia útil antes do dia 7.

 

4- Qual o percentual a ser recolhido a título de FGTS na conta de um empregado doméstico?

O empregador deve recolher através do DAE o depósito de FGTS na conta vinculada do empregado doméstico no percentual de 8% (oito por cento) a ser calculado sobre a remuneração do empregado. Este valor não pode ser descontado do salário do empregado.

 

5- A multa de 40% sobre o saldo do FGTS deve ser depositada na conta vinculada do FGTS do trabalhador?

Esta multa está prevista no artigo 22 da Lei Complementar nº 150/2015:

Art. 22. O empregador doméstico depositará a importância de 3,2% (três inteiros e dois décimos por cento) sobre a remuneração devida, no mês anterior, a cada empregado, destinada ao pagamento da indenização compensatória da perda do emprego, sem justa causa ou por culpa do empregador, não se aplicando ao empregado doméstico o disposto nos §§ 1o a 3o do art. 18 da Lei no 8.036, de 11 de maio de 1990.

1º – Nas hipóteses de dispensa por justa causa ou a pedido, de término do contrato de trabalho por prazo determinado, de aposentadoria e de falecimento do empregado doméstico, os valores previstos no caput serão movimentados pelo empregador.

 2º – Na hipótese de culpa recíproca, metade dos valores previstos no caput será movimentada pelo empregado, enquanto a outra metade será movimentada pelo empregador.

 3º – Os valores previstos no caput serão depositados na conta vinculada do empregado, em variação distinta daquela em que se encontrarem os valores oriundos dos depósitos de que trata o inciso IV do art. 34 desta Lei, e somente poderão ser movimentados por ocasião da rescisão contratual.

O DAE do eSocial assegura o recolhimento mensal, mediante documento único de arrecadação, dos seguintes valores:

  • 8% (oito por cento) de recolhimento para o FGTS;
  • 3,2% (três inteiros e dois décimos por cento), na forma do art. 22 desta Lei;

 

6- O recolhimento do FGTS deve incidir sobre o pagamento do adicional de férias (1/3)?

Segundo o artigo 12 da Instrução Normativa SIT/MTE n.º 25, de 20.12.2001, DOU de 27/12/2001, sobre o valor de um terço constitucional das férias deve incidir o recolhimento do FGTS.

 

7- O recolhimento do FGTS deve incidir sobre o pagamento do 13° salário?

A incidência do FGTS sobre o valor do 13º salário dar-se-á sobre cada uma das parcelas, na competência de seu efetivo pagamento.

 

8- Um empregado afastado e recebendo o benefício de auxílio-doença do INSS tem direito ao depósito de FGTS?

Estando o empregado doméstico afastado por auxílio-doença, o FGTS não deve ser recolhido porque o contrato está suspenso.

 

9- É devido recolhimento do FGTS quando uma empregada está recebendo salário-maternidade?

Sim, estando a empregada doméstica afastada em gozo de licença-maternidade e recebendo salário-maternidade, o FGTS deve ser recolhido durante todo o período do afastamento em atendimento ao artigo 28 do Decreto nº 99.684/90.

 

10- É devido recolhimento do FGTS quando uma empregada está afastada por acidente de trabalho?

Sim, o empregador deve continuar depositando o FGTS mensalmente durante todo período de afastamento da empregada.

Compartilhe esta publicação

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Cadastre seu e-mail e fique sempre atualizado

Deixe seu comentário sobre este post

Menu do blog

Mais Acessados